30/06/2013

Início, meio e fim

Toda história tem um início, meio e fim. Nossa história de amor foi assim, teve um início lindo. Você sempre foi carinhoso comigo, sempre me deu muita atenção quando éramos amigos. Até que um dia nos apaixonamos, no começo foi tudo muito estranho porque éramos amigos, mas depois nos acostumamos e éramos muito felizes, até que chegou o meio do nosso relacionamento.
No meio do relacionamento começaram as brigas, os ciúmes exagerados e a perda de amigos. Quando percebemos estávamos sós, tínhamos apenas um ao outro, eu só podia contar com você e você comigo.
Começamos a culpar um o outro por causa de tudo o que acontecia de errado em nossas vidas até que veio o fim. O fim do nosso namoro, o fim do nosso amor. Os planos ficaram pra trás e as lembranças eram apenas lembranças...
Talvez o que aconteceu não era pra ter acontecido. Descobri que você mentia pra mim, o porque eu não sei e nem entendo. Eu gostaria de saber por que fez isso comigo?
Sei que você sempre me disse que nada era como nos contos de fadas, me disse isso no meio do namoro porque no início você acreditava em contos de fadas e dizia ser o meu príncipe encantado e eu sua princesa. O que houve com os planos? Desistiu fácil assim?
Não quero te julgar apenas quero dizer que você significou muito pra mim, mas hoje não significa mais, tenho uma nova vida e sei que você também, apenas gostaria que me respondesse as perguntas que te fiz, pelo menos pra minha consciência ficar tranquila . Queria que admitisse o moleque que é, foge de suas responsabilidades, não admite seus sentimentos e tenta me enganar, mas eu te conheço e antes de namorarmos éramos amigos lembra? Então te conheço o suficiente.






                                                                               - Larissa Farias

23/06/2013

Pequenas lembranças


Era uma tarde de domingo e não havia nada para fazer em casa sozinha. Poderia ver um filme, mas sozinha não tem graça. Todos os meus amigos estavam em uma viagem e eu fiquei de fora. Que droga! Tentei ir junto, mas meu patrão não me liberou disse que iria precisar da minha ajuda no fim de semana.
Fazia tempo que eu não ficava em casa num dia de domingo, queria muito sair. Foi então que me veio á ideia de ir passear um pouco no parque. Sei que não tem graça nenhuma em fazer isso, mas estava desesperada e ia acabar enlouquecendo ali sem fazer nada. Então lá fui eu para o parque!
A tarde estava agradável, havia muitas famílias e crianças brincando por toda parte. Perguntei-me diversas vezes, por que estava ali? Poderia ter ido a algum bar encher a cara e depois ir para casa dormir, mas não, preferi ir até um parque sem graça e que me trazia lembranças nada agradáveis.
Senti algo bater em minhas pernas, quando me virei era um menininho que havia chutado a bola e me acertou em cheio.
- Desculpa moça? Eu não acertei por querer.
- Está desculpado! – Sorri. – Qual o seu nome?
- Davi e o seu?
- Jéssica. Está sozinho aqui no parque?
- Não, estou com meus pais. Quer conhece-los?
- Não vou atrapalhar? – Não havia nada de interessante para fazer, então por que não fazer novos amigos?
- Claro que não, eles vão adorar conhece-la.
- Então vamos!
Quando me deparei com os pais do menino minhas pernas tremeram, era ele, o meu ex-namorado. Ele era o pai do Davi? Ele estava casado e havia construído a família que sempre quis. Fiquei em estado de choque, não sabia o que dizer, então ele se propôs a falar.
- Olá Jéssica! Como vai? Meu filho acertou a bola em você? Desculpe! Tenho certeza que não foi por querer, ele é um menino adorável. – Sorriu.
- Sim, estou ótima. Não precisa se desculpar está tudo bem e sim, seu filho é adorável. – Me veio um nó na garganta e pequenas lembranças vieram, lembranças de quando éramos felizes juntos e dos planos que fazíamos para o futuro, ali naquele mesmo lugar onde ele estava sentado. Era onde costumávamos nos sentar nos fins de semana para namorar e falarmos de tudo que nos rondava. – Preciso ir embora, foi um prazer revê-lo e foi muito bom conhecer você Davi.
- O prazer foi todo meu. – Ele sorriu com aquele jeitinho meigo que toda criança tem. Retribui o sorriso e fui embora.
Quando me virei para ir embora ouvi a mulher dele perguntando: - Quem é ela? Por que não falou comigo? E ele respondeu: - Ninguém querida, apenas uma velha amiga. – Sorri ironicamente enquanto lágrimas escorriam do meu rosto.



                                                                     


                                                                           - Larissa Farias

16/06/2013

Amor de verão – Parte ll


Meu pai não gostou muito da ideia de eu ter convidado um menino para jantar conosco, já minha mãe amou a ideia, resolveu até fazer um prato especial.
A mesa já estava quase pronta. Alguém bateu na porta e meu pai foi atender enquanto eu e minha mãe terminávamos de pôr a mesa.
Ouvi vozes na sala, era ele que havia
chegado. Ouvi uma voz feminina, era a namorada dele. Então resolvi ir até a sala para conhecê-la.
Quando entrei na sala fiquei em choque, não acreditava no que meus olhos viam, era a Karen, uma amiga de infância, ela costumava ir brincar comigo na praia nas férias.

- Olá Drica! Quanto tempo...
- Olá Karen! – Realmente não acreditava no que via e minha vontade era sair correndo.
- Como estão as coisas? Por que ficou tanto tempo sem vir aqui?
- Meu pai não tinha muito tempo. Estava trabalhando muito, só agora conseguiu arrumar um tempo para vir. Não é pai?
- É sim. Agora vamos comer que estou com muita fome.

Sentamos e saboreamos a deliciosa comida que minha mãe tinha feito. Falamos sobre o que tinha acontecido nesses cinco anos que não nos víamos, mas ninguém comentou sobre os dois estarem juntos.
O jantar acabou e eu arrumei uma desculpa para sair de perto deles e ir pro meu quarto, estava precisando chorar. Disse que estava passando mal.

Joguei-me na cama e desabei, não entendia porque eles estavam juntos. Havia se passado cinco anos e eu não podia exigir nada da Karen.
Alguém bateu na porta, logo enxuguei minhas lágrimas e abri a porta.
- Ah, é você Karen.
- Desculpe incomodar, mas vim saber se precisa de algo e avisar que estamos indo já.
- Está tudo bem, daqui a pouco passa é só uma dorzinha, nada demais.
- Tá bom, então depois agente se fala. – Notei que ela estava triste, mas saiu sem dizer nada.
Logo em seguida ele entrou me senti muito envergonhada por está com a cara inchada de tanto chorar.
- Posso falar com você? – Disse ele.
- Se for pra perguntar se estou bem, nem precisa porque eu já estou um pouco melhor.
- Não é isso. É sobre eu e você. – Congelei.
- Como assim? Não estou entendendo.
- Eu sei que você me ama e deve estar sofrendo porque me viu com a Karen. Saiba que no começo ela ficou preocupada com o que você iria pensar. A história é longa, mas vou resumir um pouco pra você. – Ele deu um longo suspiro. – Os pais dele morreram há 3 anos, desde então sempre estive ao seu lado, ela não tem ninguém, os pais dela eram os únicos familiares que ela tinha. Então ela teve que ir morar em um orfanato e meus pais ficaram indignados com isso e resolveram adotá-la. Já faz um ano e meio que ela mora conosco. Ela me contou o que sentia por mim, eu não sabia o que fazer, não queria vê-la sofrer ainda mais, então começamos a namorar, confesso que no começo não sentia nada por ela, mas depois de um tempo me apeguei a ela e vi o quanto ela é especial pra mim. Meus pais no começo não aceitaram muito, mas depois de conversarmos eles decidiram deixar namorarmos, ela ficou tão feliz e confesso que eu também. Só de vê-la feliz eu fico feliz.  – Ele começou a chorar.
- Eu não sei o que dizer.
- Não precisa, eu ainda não terminei. Drica eu não tive oportunidade de lhe dizer isso porque não tinha coragem, mas hoje eu sou maduro o suficiente pra lhe dizer que te amo á mais de cinco anos.

Não acreditava no que tinha acabado de ouvir. Senti-me mal pela Karen. Coitada dela devia está sofrendo muito, mas por outro lado ele disse que me amava á mais de cinco anos.
- Jhony eu o amo tanto. – Corri e o abracei com toda minha força. Choramos e ficamos abraçados por alguns segundos.  – Espero que você faça-a muito feliz, afinal ela é minha amiga – sorrimos.
- Pode deixar pequena, seja feliz também!
- Sim eu vou ser.
- Agora tenho que ir, tchau! – Beijou-me na testa e foi embora.

Naquela noite mal consegui dormir, olhava da janela as estrelas e o brilho da lua que refletia sobre o mar. Pensei em tudo que ele havia me dito e percebi o quanto ela precisava dele.
Ele foi apenas um amor de cinco verões passados, mas que deixou uma marca dentro de mim.

Apesar de tudo estou feliz por eles, quem sabe no próximo verão eu não encontre um novo amor aqui nessa mesma praia.




                                                                                                 - Larissa Farias

Amor de verão – Parte l


 Meus pais decidiram viajar nas férias de verão para uma casa na praia que tínhamos, fazia muito tempo que não íamos passar férias lá.
Saímos pela manhã, o sol mal tinha dado as caras. Estava muito animada para rever o lugar e ansiosa para saber se havia mudado algo por lá.
- Ainda falta muita pra chegarmos pai? – Não conseguia esconder minha aflição.
- Calma querida ainda está na metade do caminho.

Quando chegamos não reconheci muito a nossa casa, estava um pouco velha, as portas e janelas enferrujadas por causa da maresia, o quintal estava cheio de folhas e a grama estava bem grande. Meu pai havia colocado um caseiro lá, mas ele tinha ido embora a uns três meses atrás.
- Nossa o que houve aqui? – Disse minha mãe.
- Calma querida! Vamos dar um jeitinho nisso aqui não é Drika?
- Fala sério pai! Eu vim curtir minhas férias e não limpar o quintal e a casa.
- Parem! Vamos entrar logo - esbravejou minha mãe. Logo em seguida entramos, a casa por dentro estava bem organizada, só havia bastante poeira e teias de aranha.

Quando entrei em meu quarto me deparei com meus ursinhos todos empoeirados. Lembrei-me de quando era mais nova, brincava com eles mais uma amiga da vizinhança.
Aproximei-me da janela e a abri, de lá eu tinha uma visão privilegiada da praia, sempre ficava ali horas e horas observando o sol se pôr e os golfinhos que nessa época do ano migravam para lá.
Avistei alguém surfando – não me lembro de ter surfistas pela redondeza. – Pensei.
- Drika! – Gritou minha mãe.
Descia as escadas correndo. – O que houve mãe?
- Não é nada, só pensei que se você quiser pode ir até a praia, eu e seu pai daremos conta da casa.
- Tem certeza?
- Vai logo menina! – Disse meu pai.
- Tudo bem então, se precisarem é só chamar, estarei bem aqui na frente.

Quando me aproximei percebi que era um rapaz que estava surfando, ele era musculoso, tinha cabelo loiro queimado do sol e olhos claros. Acho que ele havia percebido minha presença e então se aproximou.
- Olá, como vai? – Disse ele como se me conhecesse.
- Oi - respondi.
- Nossa você não mudou muito.
Tá legal me assustou muito quando ele disse isso, afinal eu nunca tinha o visto ali, não que me lembrasse.
Ele me olhava assustado e preocupado.
- Você não está me reconhecendo Drika?
- Desculpe! Mas eu não sei quem é você.
- Jhony. Está lembrada agora?
Quando ele disse o nome me assustei. Não podia acreditar. Ele era o menino por quem eu havia me apaixonado há 5 anos atrás.
- Nossa você... Está diferente – gaguejei.
Ele sorriu. – É verdade como pode ver eu virei surfista, estou malhando e jogo vôlei aqui na praia nos finais de semana. Faço parte da equipe de vôlei de praia da região e estamos disputando o estadual.
- Não em lembro de você gostar de vôlei.
- Pois é, passei a gostar por causa da minha namorada. Ela também faz parte de uma equipe da região.
Senti um pouco de tristeza quando o ouvi dizer que tinha namorada, mas não podia esperar outra coisa, ele era lindo e simpático, devia ter várias garotas dando em cima dele.
- E os seus pais como estão?
- Estão bem, devem estar precisando de mim, lá dentro. Eles estão arrumando a casa, sabe como é né? Acabamos de chegar e havia 3 meses que a casa não era limpa.
- Gostaria de revê-los
- Gostaria de ir jantar conosco hoje?
- Posso? Não vou atrapalhar?
- Claro que não vai. Eles iram ficar felizes em rever você.
- Então eu irei - afirmou.
- Se quiser pode levar sua namorada. Talvez ela fique com ciúmes se não for.
- É verdade – sorriu. - Eu a levarei. Então até mais tarde.
- Até mais tarde.


CONTINUA.



                                                                            - Larissa Farias

12/06/2013

Feliz dia dos Namorados!


Eu poderia ficar horas digitando um texto e dizendo palavras lindas, mas sei que não é preciso isso pra te provar o quanto você é importante em minha vida. Cada ano que passamos juntos é maravilho, temos nossos desentendimentos mas sempre terminamos nos entendendo.
Esse é o quarto ano que comemoramos o dia dos namorados juntos. Só tenho que agradecer a você por cada sorriso que tem me tirado e cada momento que passamos juntos. Obrigada por tudo meu amor!

Te Amo!

" Hoje eu preciso te encontrar de qualquer jeito
Nem que seja só pra te levar pra casa 
Depois de um dia normal 
Olhar teus olhos de promessas fáceis 
E te beijar a boca de um jeito que te faça rir 

Hoje eu preciso te abraçar 
Sentir teu cheiro de roupa limpa 
Pra esquecer os meus anseios e dormir em paz 

Hoje eu preciso ouvir qualquer palavra tua 
Qualquer frase exagerada que me faça sentir alegria
Em estar vivo 

Hoje eu preciso tomar um café, ouvindo você suspirar
Me dizendo que eu sou causador da tua insônia 
Que eu faço tudo errado sempre 

Hoje preciso de você 
Com qualquer humor, com qualquer sorriso 
Hoje só tua presença 
Vai me deixar feliz Só hoje. "  ♪




                                                                                     - Larissa Farias

11/06/2013

4 dicas para deixar sua namorada feliz no dia dos namorados

          


1. Descubra o que ela gosta. Entre os melhores presentes para agradar uma mulher  você pode dar uma roupa, que toda mulher adora ganhar. Calçados são paixões femininas. Joias, por exemplo, você pode dar uma gargantilha com o inicial do seu nome para ela lembrar sempre de você em todos os lugares que estiver.

2. Que tal uma aliança de compromisso? Aproveite a data para presentear com um símbolo de união. Você pode dar as alianças acompanhadas de um buquê de rosas vermelhas bem bonitas. E ainda pode incrementar a surpresa: que tal fazer um jantar surpresa para ela? Prepare algum cardápio fácil e capriche no prato.

3. Que tal acordar a amada pela manhã? Prepare uma cesta de café da manhã e logo pela manhã do dia dos namorados acorde-a de uma maneira especial. Coloque bolos, tortas, biscoitos, pães e tudo de gostoso que encontrar na cesta. Faça uma embalagem especial e capriche no cartão. Depois é só ir entregar a cesta na casa dela pessoalmente. Toda mulher adoraria ganhar uma cesta de café da manhã, ainda mais quando é entregue pelo próprio namorado.

4. Independente do presente, não se esqueça de dizer o quanto ela te faz feliz e te completa. Ou seja, retribua todo o amor que ela te dá e não tenha medo de expressar os seus sentimentos por ela. Todo mundo gosta de saber o quanto é especial e faz o outro feliz.

Vamos lá meninos caprichem nas surpresas, mulheres AMAM surpresas. (rsrs)

30/05/2013

Sempre te amei


- Eu te trouxe aqui porque achei que você iria ficar um pouco feliz. Você anda muito triste ultimamente, sei que você gosta de sentar aqui na beira da praia.
 - Desculpa! Eu gosto sim, amo a brisa do mar, me faz bem. O problema é que eu costumo vir aqui pra pensar um pouco na vida sabe?
- Entendi, mas em que você está pensando?
- Na vida.
- Está passando por algum problema? Posso te ajudar em algo? Sabe que somos amigos desde crianças, então pode contar comigo para o que precisar.
- Obrigada! Sei que posso contar com você, mas não é nada que você possa me ajudar.
- Então o que é?
- Eu ainda não o esqueci. Você sabe de quem eu falo né?
- Claro que sei. Achei que seu coração já estivesse pronto para amar outra pessoa, mas vejo que ainda o ama.
- Eu não sei se o amo ainda, mas sinto muita mágoa no coração.
- Você precisa esquecê-lo, precisa dar uma chance pra você e pra quem te ama de verdade.
- Quem vai me amar? Eu sou uma tonta, ninguém iria querer nada comigo.
- Pare! Não diga essas coisas, eu sei de uma pessoa que gosta muito de você e que espera um dia você olha-lo de uma forma diferente, mas você apenas o vê como amigo.
- De quem você está falando? Não me diga que... – Ele a interrompeu.
- Sim! Sou eu. – Os dois ficaram em silêncio por alguns minutos.
- Mas desde quando, por que nunca me disse nada?
- Você nunca me deu oportunidades. Desde criança sempre gostei de você.
- Então é por isso que você sempre foi fofo comigo.
- Exatamente, sempre quis te contar. Quando decidi te contar você me interrompeu e disse que estava gostando de um rapaz, então eu desisti, vi que não teria chances.
- Mas você pareceu ficar feliz por mim.
- Eu fiquei feliz por você, só fiquei triste por mim.
- Me desculpe, eu não sabia, se eu soubesse teria... – Ela deu uma pausa.
- Você teria...
- Eu teria te contado o motivo pelo qual não fui embora com ele.
- E por que não me conta agora?
- Foi por você. Eu desisti de ir embora com ele foi porque eu te amo e não queria ficar longe de você. Eu também o amava, mas não sei explicar, era diferente. Pronto falei!
- Eu não sei o que dizer. – Os dois se olharam e trocaram sorrisos.
- Posso te pedir uma coisa? Eu sempre quis pedir, mas nunca pude.
- Claro que pode. Peça!
- Posso ter beijar? – Ele não obteve resposta, ela apenas levou a mão em seu rosto e o beijou.




                                                                                       - Larissa Farias

26/05/2013

Coisas da vida

Nada na vida é por acaso...

A vida é muito engraçada um dia agente está feliz e no outro triste. Pessoas te fazem sorrir e outras te fazem sofrer. Essa é a lei da vida.

Deus nos dá opções de escolha, mas não sabemos aproveitar e acabamos escolhendo a mais errada, ou seja, a mais fácil que acaba saindo cara. No começo tudo vai ser perfeito, mas depois aparecem as consequências, aparecem as cobranças da vida, tudo tem seu valor e temos que estar dispostos a pagar por aquilo que escolhemos.

A cada tropeço um aprendizado, a cada “não” uma força pra poder lutar até um dia conseguir o tão esperado “sim”. Decepções veem a tona, sempre nos pondo pra baixo e fazendo com que achemos que não somos capazes de seguir em frente, mas existe alguém que acredita nos nossos sonhos e que lá de cima observa cada passo e cada tropeço que damos. Ele se chama Deus. Ele que me dá forças pra seguir à diante e ver que os problemas e as dificuldades são apenas o caminho para quem quer vencer.

Existem coisas na vida que não fazem sentido, existem milhares de perguntas mas ninguém para pra pensar se realmente há uma resposta ou se é a resposta que esperamos.


                                                                                        - Larissa Farias

25/05/2013

Meu porto seguro



Sabe quando agente senta nas pedras de Saquarema de frente pro mar pra ver o pôr-do-sol quando estamos brigados? Eu gosto de ir lá pra conversar sobre nós, colocar as coisas nos eixos e voltar a ser tudo como antes. Tantas coisas acontecem diariamente com a gente, mas nenhuma delas até hoje foi o suficiente para nos separar. Hoje eu percebo o quanto agente se ama e que talvez esse amor seja pra sempre, pelo menos até o último dias de nossas vidas.

As vezes paro e penso em tudo o que vivemos juntos, não só coisas boas mais ruins também. Você sabe do que eu falo e de quem eu falo né?
Pessoas me deixam tristes me põem pra baixo e me fazem pensar que não sou capaz, mas o amor que sinto por você me faz ir adiante, ir além de onde eu acho que posso ir. As vezes penso em desistir de tudo inclusive de nós dois, mas você não deixa você não perde a fé em mim, sempre acredita que sou capaz, sempre me dá forças pra seguir. Você é meu porto seguro. Hoje não me vejo sem você, sem seu carinho, seus abraços confortantes, suas broncas e até mesmo suas chatices de animes, nunca vi tão viciado. - Risos

Meu maior sonho é realizar meus outros sonhos do seu lado, construir nossa família, ter nossa casa, nossos filhos, nosso carro e nossos bichinhos de estimação.
Você aceita ser pra sempre meu e nunca mais me abandonar?



                                                                                           
                                                                                         - Larissa Farias

19/05/2013

Nossos olhares se cruzaram



Era sábado á noite e meus amigos tinham me chamada para sair tentei dizer que não, mas como era de se imaginar minha palavra não valia de nada para eles. Resolvemos ir á um barzinho que fica do outro lado da cidade, não era um lugar muito luxuoso mas era aconchegante, a comida e a bebida eram boas, tinha música ao vivo.

Chegamos e sentamos em uma mesa do lado direito que estava vazia, resolvemos pedir algo para beber e alguns petiscos. Comemos e bebemos bastante, o Lucas e o Pedro já estavam meio chapados, eram muito fracos na bebida eu me mantive tranquilo, poderia beber várias  garrafas de whisky. Começaram a falar das namoradas que tiveram e já viu bêbado quando começa a falar de amor é a coisa mais chata do mundo.
Percebi que algumas meninas haviam acabado de chegar e se sentaram na mesa ao lado, uma delas disse que faltava uma cadeira, então resolveu ir pedir porque o bar já estava lotado e na minha mesa estava sobrando uma cadeira.

- Olá, será que poderia pegar essa cadeira?
- Sim claro, fica a vontade!
- Obrigada!

Quando desvio o olhar vejo um anjo se aproximando, meu coração disparou automaticamente não consegui conter meus olhares, ela era linda usava um vestido preto, tinha cabelos lisos e o sorriso mais perfeito que já vi. Ela me olhou  deu um leve sorriso e se sentou com as amigas na mesa ao lado. Meus amigos perceberam que eu estava um pouco aéreo e logo perceberam o motivo e começaram a me zoar, olhavam pra ela e para mim e riam, as amigas dela também estavam rindo, talvez também tivessem percebido. Sou péssimo em esconder quando estou afim de uma garota.

A noite se passou e eu não conseguia parar de admira-la, eu poderia ter ido conversar com ela perguntar seu nome, puxar algum assunto mas não consegui, fiquei totalmente imobilizado. Ela as vezes me olhava e dava um sorrisinho maroto e outras vezes me olhava com cara de “o que está olhando, perdeu algo aqui?”, então não sabia o que fazer só a observei a noite inteira.

Já passava das 23 horas quando ela e suas amigas resolveram ir embora, se levantaram e disseram “tchau”, ela me olhou e deu um leve sorriso. Meus amigos riram mais uma vez da minha cara. – Por que não vai falar com ela? Pede ao menos o telefone dela cara. – Disse o Lucas. Não tive tempo de agir quando pensei elas já haviam ido embora.

Voltei outras vezes no mesmo bar para ver se a encontrava mas não obtive sucesso, nunca mais a vi por ali. Lembro-me até hoje do seu sorriso e me arrependo de não ter feito nada quando pude.



                                                                                                 - Larissa Farias

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...