22/09/2013

Resenha do livro Tormenta – Lauren Kate



“Inferno na Terra. É assim que Luce se sente ao ficar longe de seu namorado e anjo caído, Daniel. Levou uma eternidade para eles se encontrarem, mas agora ele diz a ela que deve partir. Apenas um tempo suficiente para caçar os Párias – imortais que querem matar Luce. Daniel esconde Luce em Shoreline, uma escola na costa rochosa da Califórnia, junto com outros estudantes especiais: Nefilins, os filhos dos humanos com anjos caídos. Em Shoreline, Luce descobre o que são as Sombras e como usá-las como as janelas para suas vidas passadas. No entanto, quanto mais Luce aprende, mais ela suspeita que Daniel não lhe disse tudo. Ele está escondendo alguma coisa – algo perigoso. E se a versão passada de Daniel não for verdadeira? E se Luce realmente quis ficar com outra pessoa?”



Sobre os grupos:

· Párias: São espécies de anjos. Pela descrição de Cam, são os piores tipos de anjo. Eles ficaram ao lado de satanás durante a "revolta", mas não pisavam no submundo. Assim que a batalha terminou, eles tentaram voltar para o céu, mas já era tarde. Ele também cita que, quando eles tentaram ir para o inferno, Satanás os expulsou permanentemente, e os deixou cegos. Apesar disso, os párias tem um enorme controle dos outros quatro sentidos. Eles perseguem Luce porque acham que a capturando, conseguirão voltar para o céu.

· Anciãos: Não se explica muito bem o que eles são, mas eles querem ver Luce morta mais do que tudo. Srtª Sophia é um deles, e tentou matá-la no final de Fallen, sem sucesso.

· Nefilim: São os filhos dos anjos caídos com mortais. De acordo com Tormenta, são raros os nefilim que tem asas. Shelby, Miles, Dawn e Jasmine são exemplos de nefilins que aparecem em Tormenta.

· Anjos caídos: De acordo com a bíblia, o Anjo Caído ou Anjo Decaído é um anjo que, cobiçando um maior poder, acaba se entregando "às trevas e ao pecado". O termo "anjo caído" indica que é um anjo que caiu do Paraíso. O Anjo Caído mais famoso é o próprio Lúcifer. Os Anjos Caídos são bastante comuns em histórias de conflitos entre o bem e o mal. O Credo e a Sagrada Escritura afirmam que Deus criou todas as coisas, visíveis e invisíveis. Assim, os primeiros seres que Ele criou foram os puros espíritos, ditos Anjos, dos quais alguns se revoltaram contra o Criador, tornando-se demônios, condenados eternamente. A Escritura e a Tradição afirmam que o Diabo foi primeiro um anjo bom, criado por Deus. Em 1215, o Quarto Concílio de Latrão afirmou: “De fato, o Diabo e os outros demônios foram por Deus criados naturalmente bons; mas eles, por si, é que se fizeram maus”.



    Esse livro foi muito interessante, mas não foi o melhor. Já li o terceiro que é Paixão que em minha opinião é o melhor até agora, Fallen também foi legal, Tormenta também, ai Deus não sei realmente dizer qual o melhor, mas vale muito apena ler é muito emocionante, depois vou postar uma resenha falando dele. Agora voltando à Tormenta, a parte boa é que a Luce descobre algumas coisas na Shoreline como entrar nas sombras e faz novas amizades também.
Ela consegue ver através dos Anunciadores seus pais do passado e uma irmã chamada Vera. Luce embarca em um Anunciador com Shelby e Miles para encontrar sua irmã e saber mais sobre o seu passado.
    No dia de ação de graças Luce vai para casa dos seus pais com Shelby, Miles e Rolandy. Mas para sua surpresa encontra Daniel, Cam, Molly, Ariane e Gabby. Todos ficam para o jantar de ação de graças, mas ao termino do jantar aparecem os Párias e ai que começa a guerra entre os Anjos Caídos e os Párias.
Gente essa Saga é muito legal, então por tanto leiam como eu disse antes vale apena. ;)







 
                                                                                       - Larissa Farias

15/09/2013

Querido diário...


Querido diário... Nem sei como sobrevivi ver aquilo tudo que vinha acontecendo com o Daniel, foi horrível tudo que ele passou. Mais horrível ainda foi ter que o perde para o câncer. Ele se foi de uma hora pra outra, me deixou sem ao menos se despedir. Eu havia o visitado na manhã que ele faleceu, ele me parecia tão forte e disposto a lutar por sua vida e vivê-la comigo, mas ele não conseguiu a doença foi mais forte que ele, confesso que já imagina que o pior estava por vir, mas não esperava que fosse com tanta pressa. Tinha esperanças de vê-lo em minha formatura, ele estava tão contente por mim, eu terminaria o ensino médio e iria para a faculdade, pretendo me formar em letras. Nós amamos ler, quer dizer ele amava e eu amo. Havíamos combinado de escrever um livro. Um romance, ”uma adolescente que se apaixona por um cara que está à beira da morte, mas que o amor deles é capaz de passar por todas as dificuldades e permanecer intacto”...
Basicamente contaríamos nossa história, mas infelizmente ele não vai poder me ajudar vou ter que fazer isso sozinha e pelo que vejo o livro não vai ter um final feliz.
Está fazendo uma semana que ele se foi, seus pais estão tão atormentados e infelizes, assim como eu. Ninguém esperava que isso fosse acontecer, pelo menos não agora. Ele estava forte, conversava com todos e até parecia mais forte e saudável. Talvez fosse apenas uma fachada, acho que ele não queria que seus últimos dias fossem de tristezas, lamentações e choros. Ele morreu na madrugada. Recebi o telefonema dos pais dele e já esperava pelo pior.
O enterro foi terrível, meus pais tentavam me consolar, mas não adiantava de nada ele estava morto e trancado naquele caixão que estava prestes a ser enterrado. Doía-me ter que ver aquela sena, ele sempre me pedira pra não chora em seu enterro, mas como não chorar? Era impossível não chorar.
Estou tentando voltar a minha rotina, mas está difícil ele fazia parte da minha rotina. Sempre que eu saia da escola ia imediatamente para o hospital visita-lo e levar suas flores prediletas, flores de cerejeira, ele amava o perfume delas até me deu um perfume com a fragrância delas. Vou guarda-lo pra sempre até que um dia evapore todo o líquido do frasco e então reste apenas o frasco e o amor que eu sinto por ele.
Está sendo muito doloroso ter que conviver com a ausência dele, nada parece ter sentido, o mundo parecer ter ficado em preto e branco, o tempo parece não passar, o canto dos pássaros parecem tristes. Tudo mudou sem ele aqui, mas meu amor continua intacto.





                                                        - Larissa Farias



12/09/2013

Resenha - A Culpa é das Estrelas - John Green


Em A Culpa é das Estrelas, Hazel é uma paciente terminal de 16 anos que tem câncer desde os 13. Ainda que, por um milagre da medicina, seu tumor tenha encolhido bastante — o que lhe dá a promessa de viver mais alguns anos —, o último capítulo de sua história foi escrito no momento do diagnóstico. Mas em todo bom enredo há uma reviravolta, e a de Hazel se chama Augustus Waters, um garoto bonito que certo dia aparece no Grupo de Apoio a Crianças com Câncer. Juntos, os dois vão preencher o pequeno infinito das páginas em branco de suas vidas.

Hazel Grace

Dezesseis anos. Olhos verdes e pele clara. Leitora voraz, tem uma sensibilidade bastante própria, ideias afiadas e câncer de tireoide com metástase nos pulmões. Gosta de All Stars Chuck Taylors, tem um livro de cabeceira e sabe o que Magritte quis dizer com “Isso não é um cachimbo”. Está bem, viva o Falanxifor!

Algustus Waters
Dezessete anos, alto, magro. Sorriso cafajeste, andar idem. É bonito e sabe muito bem disso. Gosta de música, livros e games. Grande adepto das ressonâncias metafóricas e da direção segura, na medida do possível. Seu osteossarcoma está em remissão há mais de um ano. E ele não tem medo de ir atrás da felicidade. 


 “Alguns infinitos são maiores que outros... Há dias, muitos deles, em que fico zangada com o tamanho do meu conjunto ilimitado. Eu queria mais números do que provavelmente vou ter.”


Eu amei esse livro, tem uma história muito bonita. Tenho certeza que assim como eu muita gente ficou se perguntando porque o nome "A Culpa é das Estrelas"?
O livro no final deixou a desejar assim como o livro Uma Aflição Imperial que Hazel leu. Acho que o John Green quis dar uma de Perter Van Houten.
Bom, eu andei pesquisando e achei essas duas perguntas respondidas pelo John Green. 


1- Você poderia falar mais sobre o significado do título A culpa é das estrelas? Sei que existe uma referência a isso no livro, mas não consegui alcançar exatamente o significado dela.


R.: Bem, na frase de Shakespeare, "estrelas" significam "destino". No texto original, o nobre romano Cássio diz a Bruto: "A culpa, meu caro Bruto, não é de nossas estrelas / Mas de nós mesmos, que consentimos em ser inferiores." Ou seja, não há nada de errado com o destino; o problema somos nós.
Bem, isso é válido quando estamos falando de Bruto e de Cássio. Mas não quando estamos falando de outras pessoas. Muitas delas sofrem desnecessariamente, não porque fizeram algo de errado nem porque são más ou sei lá o quê, mas porque dão azar. Na verdade, as estrelas têm muita culpa, sim, e eu quis escrever um livro sobre como vivemos num mundo que não é justo, e sobre ser ou não possível viver uma vida plena e significativa mesmo que não se chegue a vivê-la num grande palco, como Cássio e Bruto.

2- O que acontece com a Hazel? Eu me sinto meio como a Hazel por estar perguntando isso, mas todos sabemos que você não se parece em nada com o Peter.

R.: Não faço a mais vaga ideia. Sou diferente de Peter van Houten de várias formas, mas nesse caso (e em alguns outros), nós somos iguais: eu tenho acesso exatamente ao mesmo texto que você. Minhas considerações sobre o mundo fora daquele texto não são mais inteligentes nem mais autênticas que as suas.
Textualmente, é óbvio que a Hazel está mais fraca no fim do livro do que estava em Amsterdã, mas isso é tudo o que você sabe, e é tudo o que eu sei também.


Bom, acho que depois disso ficaram esclarecidas as minhas perguntas, espero que a de vocês também! 



"- O.k. – ele disse, depois do que pareceu ser uma eternidade. – Talvez “o.k.” venha a ser o nosso “sempre”.

- O.k. – falei."







                        - Larissa Farias


07/09/2013

Atrasada


Eram 7:00 da manhã quando meu celular despertou, eu não dei bola e acabei cochilando mais um pouco, quando abri os olhos eram 7:30 da manhã. Nossa! Eu realmente estava atrasada, eu só havia fechado os olhos alguns segundos após o celular despertar. Como a hora passou tão rápida?
Não deu nem pra pensar no que fazer, corri para o banheiro, peguei a escova e fui para o quarto escovando os dentes e ao mesmo tempo colocando a roupa. Não tive tempo de tomar café nem de me maquiar, mal deu pra escovar os cabelos. Consegui terminar as 7:45.
Saí correndo para pegar um ônibus mas acabou que assim que cheguei ele tinha acabado de sair. Mas pra minha sorte em seguida veio outro.
O trânsito estava horrível, que era normal em cidades grandes. Eram exatamente 7:50, eu teria uma prova dali a 10 minutos e minhas esperanças estavam lá embaixo.
Não aguentei esperar, tive que sair do ônibus e talvez tentar chegar lá a pé, talvez demorasse menos, só faltava uns 50 metros até o local. Andei alguns metros e percebi que todos no ônibus haviam descido e estavam indo a pé também, talvez fossem fazer a mesma prova que eu ou talvez não quisessem se atrasar para o trabalho.
Um rapaz que parecia estar com muita pressa esbarrou em mim, se pensam que ele se desculpou estão enganados. Eu estava atrasada e prestes a perder uma prova superimportante e um cara mal educado esbarra em mim e nem me pede desculpas, essa foi a gota. Eu decidi apressar o passo e retribui o esbarrão. Mas antes mesmo que eu pudesse chegar perto ele parou e olhou pra trás. Eu congelei. Que visão era aquela? Ou melhor, que homem era aquele? Ele era lindo, eu já havia esquecido que ele havia esbarrado em mim ou até mesmo que estava atrasada, mas antes que eu dissesse algo ele falou: - Olá! Eu estudo na mesma classe que você, lembra-se de mim? Você deve estar indo fazer a prova final não é?
Como assim mesma classe que eu? Quase morri, como sou tão cega assim de nunca ter percebido que havia um gato na mesma classe que eu?
Chegamos era exatamente 8:01, os portões já estavam quase se fechando, mas com algumas palavrinhas me deixaram entrar ou melhor nos deixaram entrar.
Consegui fazer a prova e passei para minha felicidade e para felicidade dos meus pais. Quanto ao gato... Ele passou também, conseguimos nos formar.
Vocês devem estar se perguntando: E depois? Bom, ele pediu meu telefone, eu dei obviamente e saímos algumas vezes e estamos namorando. Ele é um fofo e sem falar que é um gato. Bom, tenho que ir porque nesse exato momento tenho um jantar superimportante com um gato e já adiantando acho que ele vai me pedir em casamento. Bye, bye!




                                                                                           - Larissa Farias

06/09/2013

Resenha do livro Fallen - Lauren Kate

Algo parece estranhamente familiar em relação a Daniel Grigori. Solitário e enigmático, ele chama a atenção de Luce logo no seu primeiro dia de aula no internato. A mudança de escola foi difícil para a jovem, mas encontrar Daniel parece aliviar o peso das sombras que atormentam seu passado: um incêndio misterioso levou Luce até ali. Irremediavelmente atraída por Daniel, ela quer descobrir qual é o segredo que ele precisa tanto esconder... mesmo que isso a aproxime da morte.



“Seus olhos nunca deixaram os meus. Eu segurei seu olhar. Eu podia ver a tempestade em seus olhos. Eu sabia que ele estava confuso. Eu podia ver o medo. Depois, houve o amor. Eu vi. O ardor nos olhos. Eu acreditei. Eu podia vê-lo claramente. Mas já era tarde demais. O amor não era suficiente. Todo mundo sempre disse que o amor era suficiente. Não era. Não quando sua alma foi quebrada.”



Alguém já leu esse livro?
Eu amei, é muito lindo recomendo a todos. Estou lendo o segundo livro da Saga. São 5 livros: Fallen, Tormenta, Paixão, Apaixonados e Êxtase.








Pesadelo


- Alô?
- Oi amor sou eu. Como você está?
- Eu estou bem e você amor? Sua voz parece um pouco diferente.
- Pois é. É que eu estou meio que com medo de ficar aqui em casa sozinha sabe?!
- Sua boba – risos. – Não precisa ter medo eu estou aqui e vai ficar tudo bem ok?
- Pois é como você disse, você está ai e não aqui. Queria você aqui comigo.
- Você está só em casa?
- Não meus pais estão dormindo.
- Então porque está com medo?
- É que eu tive um pesadelo. Foi horrível, não quero dormir novamente pra não ter que sonhar com aquilo de novo.
- Relaxa amor, o que você sonhou?
- Sonhei que você nunca mais ia voltar a me ver e que você me mandava um sms dizendo que estava apaixonado por outra. Foi horrível, acordei chorando.
- Para de ser boba, eu nunca trocaria a pessoa mais importante na minha vida por nada e nem ninguém. Com você eu quero seguir a diante, quero lutar pelos nossos sonhos, quero fazer parte do seu futuro e quero construir uma família com você.
- Promete? – Disse ela sonolenta.
- Precisa prometer? Eu não vou prometer nada eu apenas vou cumprir.
- Eu te amo! Acho que estou ficando com um pouco de sono. Será que vou voltar a sonhar com aquilo?
- Só se você ficar pensando, pensa no que eu acabei de dizer a você, assim você vai ter bons sonhos.
-Tá bom, mas não desliga o telefone. Fica na linha até eu dormir, assim me sinto mais protegida e mais perto de você.
- Claro minha princesa!






                                                                                   - Larissa Farias

27/08/2013

Primeira vez que te vi


Era noite de sábado e eu voltava do trabalho, provavelmente jovens da minha idade estariam se arrumando para irem à balada a procura de “romances”, mas eu não. Nunca fui de sair a noite, ainda mais no sábado que era o dia em que eu chegada mais tarde em casa.
Eu costuma ir embora andando, eu morava a uns 20 minutos de onde trabalhava, mas estava chovendo e eu não havia levado guarda-chuva. Tive que esperar um metrô, demorou cerca de 8 minutos para chegar. Sentei numa das cadeiras perto da porta e peguei um livro para ler. Era um dos livros do Nicholas Sparks, sou fascinada por esse autor.
Após andar duas paradas o metrô parou e entrou um rapaz de capuz, ele estava bem vestido e um pouco molhado. Ele tirou o capuz e então eu abaixei a cabeça para continuar lendo, quando voltei a olhá-lo ele já havia tirado o capuz e o casaco. Ele era fascinante. Lindo. Charmoso. E parecia ser muito inteligente, usava terno preto e gravata azul marinho. Eu estava olhando para ele descaradamente, ele e o resto do povo do metrô percebeu, eu morri de vergonha e abaixei a cabeça.
Ele veio em minha direção e se sentou ao meu lado, minhas mãos começaram a suar e então percebi que ele estava olhando para elas.
 - Gosta do Nicholas Sparks? – Perguntou ele.
- Ah... É... Aham. Sim, eu gosto. – Dei um sorriso um pouco torto. Não sabia como reagir, fui idiota demais, não precisava agir como se ele fosse me engolir. – Ele é meu autor favorito – falei.
- Nossa que legal! Ele é meu favorito também. – Sorriu.
- Legal! – Não sabia de fato o que falar, não sabia se ele queria puxar assunto comigo porque se interessou por mim assim como eu me interessei por ele ou apenas estava querendo ser educado.
- Olha, eu... – Ele não esperou eu terminar de falar.
- Bom, eu vou descer aqui. Boa leitura pra você foi um prazer falar com você. Tchau! – Ele nem esperou que eu dissesse algo e se levantou eu tentei abrir a boca pra falar algo, mas não saiu nada. Ele se dirigiu até a porta, o metrô parou e então ele me deu uma última olhada e deu um sorriso. Confesso que me derreti toda.
Desci do metrô e andei alguns minutos até minha casa. Mais tarde deitada na cama fiquei pensando no rapaz do metrô, como ele era lindo. Pensei se o veria outra vez e em como fui tonta, nem fui capaz de perguntar o nome dele, pegar telefone ou algo assim. Tive a ideia de passar a pegar o metrô todos os sábados àquela hora para ver se o via mais uma vez, pelo menos pra saber o nome e quem sabe assim adicioná-lo em alguma rede social e ir pegando certa amizade, mas meus planos foram por água abaixo. Passei seis meses pegando aquele mesmo metrô naquele mesmo horário e nada dele aparecer.
Acho que nunca mais, vou vê-lo outra vez, já faz dois anos que isso aconteceu, me mudei, troquei de trabalho e agora estou fazendo faculdade. Quem sabe eu encontre alguém por lá que me faça esquecer o rapaz do metrô.





                                                                            - Larissa Farias


19/08/2013

Depois dos dezoito...


Dói saber que as coisas mudaram que nada é mais como antes. Pessoas mudaram, eu mudei e você mudou. Lembranças não passam apenas de lembranças, tempos de criança e de adolescência. Os tempos de escola? Ah é impossível esquecer... As primeiras amizades, as brigas na hora da saída. Tudo isso se tornou apenas meras lembranças.
Um dia agente cresce e descobre que depois dos dezoito não é tão perfeito como imaginávamos. Quem é que quando criança não sonhava em completar dezoito anos? Acho que todo mundo. Sair com os amigos sem hora pra voltar, morar só, não ter ninguém pra controlar o que você faz o que você come e até reclamar de suas bagunças.

Se pudesse voltar atrás, jamais queria ter crescido. Criança só se preocupa em estudar e nada mais, quer terminar logo de estudar porque é um “saco”. Estudar realmente é muito chato, e trabalhar é bom? Negativo, tudo é mais simples quando temos nossos pais pra comprarem o que precisamos e até mesmo o que não precisamos. Mas depois dos dezoito você tem que se virar só, seus pais vão dar preferência pros outros filhos de menores, isso se tiver outros filhos.
Por uma parte é legal que realmente você pode sair a vontade e gastar o seu dinheiro como quiser, mas isso quando sobra. Se você mora só o dinheiro mal vai dar pra comprar o que você quer, e se comprar as contas ficaram acumuladas.

A fase adulta é muito chata, mas depois de um tempo acaba se tornando legal e cada vez mais responsável porque vai vir casamente e dele saíram os frutos, que são os filhos.
Na minha humilde opinião gostaria de ser criança pra sempre, mas já passei disso afinal estou prestes há fazer 20 anos e daí é só pra pior, daqui a pouco aparecem as primeiras rugas e por ai vai. (Risos)






                                                                                     - Larissa Farias

23/07/2013

Meu lugar...




Às vezes me pergunto, qual é o meu lugar? Sinceramente não sei que mundo é esse... Melhor que pessoas são essas. Quanto mais eu penso que as conheço eu as desconheço a cada dia que passa.
Não entendo porque sorriem na minha frente e por trás falam mal, quando tento agradar alguém desagrado outro. O quer fazer a não ser enlouquecer?
Se tentar expressar o que sinto me chamam de louca, me mandam procurar um médio, isso é hilário. Queria saber o que se passar na cabeça dessas pessoas...

Queria encontrar o meu lugar, um lugar que me sinta bem longe de tudo e de todos que me fazem enlouquecer, um lugar onde me sinta bem, onde tenha pessoas como eu que não se importe só consigo mesmo mas que se importe com os outros. Queria entender o motivo de ser diferente dos outros. Será que sou louca mesmo? Será que preciso de tratamento?
Talvez eu precise de paz e de alguém que entenda meus sentimentos e que esteja disposto (a) a ouvir o que tenho a dizer e que me “ajude” de certa forma me entender melhor. A entender a vida, porque sinceramente não sei mais o que esperar dela.



                                                                                 
                                                                                      - Larissa Farias

20/07/2013

Feliz dia do Amigo!


Amigo é coisa pra se guardar
Debaixo de sete chaves,
Dentro do coração,
assim falava a canção que na América ouvi,
mas quem cantava chorou ao ver o seu amigo partir,
mas quem ficou, no pensamento voou,
com seu canto que o outro lembrou
E quem voou no pensamento ficou,
com a lembrança que o outro cantou.
Amigo é coisa para se guardar
No lado esquerdo do peito,
mesmo que o tempo e a distância, digam não,
mesmo esquecendo a canção.
O que importa é ouvir a voz que vem do coração.
Pois, seja o que vier,
venha o que vier
Qualquer dia amigo eu volto a te encontrar
Qualquer dia amigo, a gente vai se encontrar.



- Milton Nascimento

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...