30/05/2013

Sempre te amei


- Eu te trouxe aqui porque achei que você iria ficar um pouco feliz. Você anda muito triste ultimamente, sei que você gosta de sentar aqui na beira da praia.
 - Desculpa! Eu gosto sim, amo a brisa do mar, me faz bem. O problema é que eu costumo vir aqui pra pensar um pouco na vida sabe?
- Entendi, mas em que você está pensando?
- Na vida.
- Está passando por algum problema? Posso te ajudar em algo? Sabe que somos amigos desde crianças, então pode contar comigo para o que precisar.
- Obrigada! Sei que posso contar com você, mas não é nada que você possa me ajudar.
- Então o que é?
- Eu ainda não o esqueci. Você sabe de quem eu falo né?
- Claro que sei. Achei que seu coração já estivesse pronto para amar outra pessoa, mas vejo que ainda o ama.
- Eu não sei se o amo ainda, mas sinto muita mágoa no coração.
- Você precisa esquecê-lo, precisa dar uma chance pra você e pra quem te ama de verdade.
- Quem vai me amar? Eu sou uma tonta, ninguém iria querer nada comigo.
- Pare! Não diga essas coisas, eu sei de uma pessoa que gosta muito de você e que espera um dia você olha-lo de uma forma diferente, mas você apenas o vê como amigo.
- De quem você está falando? Não me diga que... – Ele a interrompeu.
- Sim! Sou eu. – Os dois ficaram em silêncio por alguns minutos.
- Mas desde quando, por que nunca me disse nada?
- Você nunca me deu oportunidades. Desde criança sempre gostei de você.
- Então é por isso que você sempre foi fofo comigo.
- Exatamente, sempre quis te contar. Quando decidi te contar você me interrompeu e disse que estava gostando de um rapaz, então eu desisti, vi que não teria chances.
- Mas você pareceu ficar feliz por mim.
- Eu fiquei feliz por você, só fiquei triste por mim.
- Me desculpe, eu não sabia, se eu soubesse teria... – Ela deu uma pausa.
- Você teria...
- Eu teria te contado o motivo pelo qual não fui embora com ele.
- E por que não me conta agora?
- Foi por você. Eu desisti de ir embora com ele foi porque eu te amo e não queria ficar longe de você. Eu também o amava, mas não sei explicar, era diferente. Pronto falei!
- Eu não sei o que dizer. – Os dois se olharam e trocaram sorrisos.
- Posso te pedir uma coisa? Eu sempre quis pedir, mas nunca pude.
- Claro que pode. Peça!
- Posso ter beijar? – Ele não obteve resposta, ela apenas levou a mão em seu rosto e o beijou.




                                                                                       - Larissa Farias

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...